terça-feira, 16 de outubro de 2018

Com gol no fim, Brasil vence Argentina em amistoso na Arábia Saudita e conquista a taça Superclássico

A entrada de Brasil e Argentina em campo no King Abdullah teve ares de Libertadores, com bandeiras, um ou outro sinalizador e papéis picados. O fim do jogo teve fumaça, fogo e festa no banco do Brasil com o gol de Miranda, nos acréscimos(47 minutos), ao completar cobrança de escanteio de Neymar: a sexta assistência do atacante em quatro jogos depois da Copa do Mundo. Garçom e capitão, ele levantou seu primeiro troféu com a Seleção: o “Superclásico”.
Início e fim empolgantes, mas o resto não cativou. A Seleção teve dificuldade em fazer seus principais jogadores renderem numa escalação surpreendente de Tite, com Gabriel Jesus e Firmino juntos pela primeira vez como titulares. Apesar do domínio técnico, a equipe fez menos do que costuma e deixou a mensagem da necessidade da busca de soluções. A Argentina sem Messi e outros protagonistas foi apenas uma seleção de lampejos, que recorreu às faltas para compensar o pouco talento.
Graças a Miranda, o Brasil é campeão do “Superclásico”, torneio tão artificial quanto a festa com pitadas sul-americanas. Mas valem a estatística e a gozação com os hermanos, sem títulos, grandes, pequenos ou insignificantes, há 25 anos.
Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.