segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Bancada do RN defendem que agências postais dos Correios continuem abertas



No último dia (26-09), o deputado Felipe Maia participou de audiência pública ocorrida, na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo, que debateu o fechamento de 1.300 agências de bancos postais dos Correios em todo o país. Defendeu a busca de uma solução positiva para a permanência desse bancos, principalmente, os localizados em municípios mais afastados, pois boa parte da população depende dos serviços bancários oferecidos. Só no Rio Grande do Norte 174 bancos postais podem ter as portas fechadas.

Anteriormente no dia (05-09), em audiência com o Presidente dos Correios, Guilherme Campos, parlamentares da bancada do Rio Grande do Norte já haviam solicitado a permanência dos bancos postais nos municípios potiguares.

No encontro, além do coordenador da bancada federal, deputado federal Felipe Maia (DEM), a deputada Zenaide Maia (PR) e a senadora Fátima Bezerra (PT) entregaram um documento reforçando a necessidade de se manter os correspondentes bancários no estado.

A deputada Zenaide Maia estava acompanhada da senadora Fátima Bezerra e do deputado Felipe Maia, que representaram a bancada do RN. Os parlamentares entregaram um documento reforçando a necessidade de se manter os bancos postais no Rio Grande do Norte.

O documento afirma que, ao ser oferecido pelos Correios, o serviço fortaleceu a circulação de recursos dentro dos municípios pequenos do Estado, proporcionou emprego e renda e promoveu inclusão bancária a milhares de potiguares.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.