quinta-feira, 15 de junho de 2017

Edital do concurso da PMRN deve sair ainda em junho, com 600 vagas”

Tribuna do Norte - À frente da Secretaria de Estado de Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), há quase dois meses, a delegada Sheila Freitas comentou problemas da segurança no Rio Grande do Norte e divulgou ações que estão sendo feitas para combater as altas taxas de homicídio no estado. Para a secretária, o maior desafio da pasta é combater o tráfico de drogas, bem como o crime organizado. Sheila afirmou que a falta de efetivo é um dos entraves para melhorar a segurança e anunciou que o edital do concurso para Polícia Militar deve ser divulgado até o final do mês de junho.

Sheila Freitas criticou as audiências de custódia do judiciário. Ela disse que 70% dos crimes cometidos são de pessoas que já tiveram passagem pela polícia. “A PM e Polícia Civil nunca prenderam tanto. Desses 25% são jovens de 12 a 17 anos, que nem ficam internados na maioria das vezes, e saem da delegacia rindo do policial que arriscou a vida para prendê-lo. A certeza da impunidade é grande, e isso fomenta o aumento da criminalidade”, disse a delegada. 

Um convênio com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), do Governo Federal, que possibilitará o pagamento de R$ 3 milhões em diárias operacionais para a polícia, não tem perspectiva de chegar aos cofres estaduais, segundo Sheila Freitas. “Já era para ter chegado, os problemas foram as mudanças operadas em Brasília, a mudança de ministros. Está tudo assinado, mas não há previsão”, confirmou Sheila Freitas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.