terça-feira, 27 de dezembro de 2016

O Açúcar é o novo tabaco, Diz especialista

Todos os dias surgem diversos estudos sobre os efeitos do açúcar no corpo. Apesar de muitos especialistas afirmarem que não faz mal comer um docinho de vez em quando, o excesso do consumo de açúcar vem se tornando cada vez mais comum – e preocupando especialistas.
Por seus efeitos nos centros de prazer do cérebro, o açúcar tem sido comparado à cocaína. 

Segundo o endocrinologista Fabiano Serfaty, ele produz muitos estímulos e fazem o corpo pedir por doses cada vez mais altas. 

“As semelhanças entre a indústria do cigarro e a indústria do açúcar são assustadoras”, afirma em entrevista ao site Glamurama. 

O especialista aponta que a indústria do açúcar vem se esforçando para provar que o açúcar não faz tão mal assim: 


“No ano passado, o “The New York Times” revelou que a Coca-Cola Company pagou milhões de dólares para financiar pesquisas que minimizaram o papel das bebidas açucaradas no desenvolvimento da obesidade, culpando a falta de exercício como fator principal”, revela.

Câncer, hipertensão e diabetes estão intimamente relacionadas também ao consumo de açúcar. Segundo o especialista, o ideal é que o consumo de açúcar seja zero, e mesmo que o consumo seja feito em pequenas quantidades “que inclui todos os açúcares e açúcares presentes no suco, xaropes e mel, diariamente, já tem um impacto nocivo sobre as doença crônicas “, as tais citadas acima.

Do Notícias ao Minuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.