terça-feira, 1 de setembro de 2015

Processo no STF abre debate sobre o esporte da vaquejada

vaquejadaO processo que tramita no Supremo Tribunal Federal sobre a regulamentação da vaquejada trouxe para o debate o esporte mais tradicional do Nordeste brasileiro e coloca em destaque o Rio Grande do Norte. Isso porque dos cavalos usados em vaquejada, uma boa parte é produzida no Estado potiguar, que chama atenção pela criação dos animais Quarto de Milha, possuindo, inclusive, vários garanhões que se destacam entre os grandes produtores no Ranking da Associação Brasileira de Criadores de Quarto de Milha (ABQM).

“Essa discussão sobre a vaquejada deve ser analisada do ponto de vista da manifestação cultural, esportiva e econômica. Essa é uma atividade que gera economia, reflete no número de empregos e também se mostra como uma expressão de esporte característico do nosso Nordeste”, destacou o assessor jurídico da Associação Brasileira de Vaquejada (ABVAQ), Leonardo Dias

.

Ele chamou atenção para as rígidas regras através das quais a vaquejada é promovida atualmente, garantindo segurança ao animal e ao público. “A Associação Brasileira de Vaquejada definiu regras para a promoção dos eventos. E junto com todos os órgãos atuamos para garantir a fiscalização e o cumprimento dessas regras que garantem a promoção de um esporte com segurança e sem maus tratos para os animais”, destacou Leonard

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.