domingo, 12 de julho de 2015

Érika Miranda consegue primeiro ouro do Brasil em Toronto

ERIKAÉrika Miranda nem chegou aos 30, mas já virou a vovó do time brasileiro de judô. Em um time que começou a viajar junto ainda na adolescência e que começou a vencer antes dos 20 anos, uma judoca de 28 anos é exceção. Neste sábado, a veterana se destacou mais que todos os “novinhos”. Com uma vitória sobre a canadense Ecaterina Guica, ela conquistou o primeiro ouro do Brasil em Toronto, além do primeiro dela na carreira.

A luta durou pouco e a atuação da brasileira foi brilhante. Mesmo com a torcida contra, Érika derrubou Ecaterina duas vezes em sequência, conseguiu o ippon com dois wazaris seguidos e subiu ao lugar mais alto do pódio.


“Eu queria muito que o primeiro já fosse ippon. Quando eu levantei, ela queria trabalhar chão, eu coloquei outro golpe. No país onde o futebol reina, quem manda é o quimono”, disse Érika Miranda ao Sportv. “Eriquinha é uma veterana nos Pan-Americanos. Judô feminino, judô do Brasil tem a responsabilidade de levar 14 medalhas. Estamos só começando”, avisa Rosi Campos, técnica da seleção feminina.

Foi o primeiro ouro do Brasil, que tinha batido na trave pouco antes com Kitadai, que ficou com a prata na categoria ligeiro. Com a conquista de Érika, o país soma um bronze, uma prata e um ouro no Pan, todas as medalhas conquistadas pelo judô, que pretende subir no pódio com todos os atletas. É sintomático, nesse contexto, que a primeira conquista venha de uma “veterana”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.