terça-feira, 2 de junho de 2015

Sobrevivente relata drama de naufrágio na China

Sobrevivente do naufrágio do navio de cruzeiro Estrela do Oriente é retirado do rio Yangtze em Juanli, na China. A embarcação naufragou com 458 pessoas a bordo, todas chinesas, segundo autoridades. Mais de 400 pessoas foram dadas como desaparecidas (Foto: AFP)Um navio com mais de 450 pessoas a bordo afundou no rio Yangtsé, no centro da China, e um dos poucos sobreviventes, Zhang Hui, de 43 anos, relata a noite de pesadelo, fustigado pelas ondas.
O Dongfangzhixing ("Estrela do Oriente") transportava 458 pessoas, incluindo 406 passageiros chineses - uma grande maioria de pessoas idosas -, e cinco funcionários da Xiehe, uma agência de viagem de Xangai. Por enquanto, apenas 18 foram resgatadas.
Navio de cruzeiro com mais de 450 a bordo naufraga na China
Entre eles, Zhang, que supervisionava um grupo de turistas neste cruzeiro que zarpou de Nankin (leste da China) com destino a Chongqing (centro).
Pouco depois, às 21h de segunda-feira (1º), o vento e a chuva se intensificaram sobre a embarcação, enquanto o clarão dos trovões enchiam a escuridão, contou, em um testemunho reproduzido pela agência oficial Xinhua.
"As gostas de chuva martelavam o casco direito do navio, a água começava a entrar em muitos quartos, mesmo com as janelas fechadas", relatou.
Às 21h20, muitos passageiros idosos precisaram deixar suas cabines inundadas, carregando consigo cobertores encharcados para o salão de recepção.
Poucos minutos depois, enquanto Zhang Hui retorna a seu beliche no segundo andar, o navio "inclina fortemente, em 45°". E imediatamente, começa a afundar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO LEITOR: O Blog não se responsabiliza pelas opiniões e comentários. Em geral, o nosso Blog não analisa nem endossa o conteúdo dos comentários. Não permitimos o uso de linguagem ofensiva, spam, fraude, discurso de violência, comportamento violento ou negativo, conteúdo sexualmente explícito ou que invada a privacidade de alguém.

IMPORTANTE: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica. Recomendamos aos leitores utilizarem o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.